Home Blog

Projeto brasileiro vence competição internacional do setor aeroespacial

0

Google News

Uma união entre Brasil e Suécia em busca de soluções aeroespaciais com aplicações no mundo real foi a base da competição idealizada pelo Centro Sueco de Pesquisa Aeroespacial (SARC, na sigla em inglês) e a Rede Brasileira de Pesquisa e Inovação Aeroespacial (BARINet, também em sigla na língua inglesa). O concurso foi patrocinado pela empresa sueca Saab, e contou com a parceria do CISB (Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro) e de renomadas Universidades do Brasil e da Suécia.

O objetivo da competição era encontrar as melhores soluções para um problema específico que envolvessem múltiplos veículos aéreos não tripulados (VANTs ou UAVs, na sigla em inglês). Para o Prof. Dr. Glauco Caurin, pesquisador da USP São Carlos e um dos diretores da competição, ações desse tipo servem para conectar a indústria, a inovação e o mundo acadêmico. “A competição é original e inovadora, pois tenta colocar no mesmo palco soluções avançadas do lado de pesquisa e acadêmico com alunos de pós-graduação e também soluções desenvolvidas por startups”, explica.

Vencedores brasileiros

Durante o 10º Workshop Sueco Brasileiro em Aeronáutica, realizado na última terça-feira (26), foram apresentadas as propostas das 15 equipes inscritas, sendo 9 delas do Brasil e 6 da Suécia. O grupo vencedor foi o Flying U2, composto por uma equipe multidisciplinar de pesquisadores das áreas de engenharia e computação da USP São Carlos e da UFSCar.

A proposta da equipe visa solucionar problemas causados por cianobactérias e macrófitas aquáticas em corpos de água doce, por meio da aplicação de veículos aéreos autônomos colaborativos. A proliferação de macrófitas aquáticas pode bloquear múltiplos usos de recursos hidráulicos, como geração de eletricidade, por exemplo. Além disso, a presença de cianobactérias em corpos d’água proporciona sérios riscos à saúde da população devido às potentes toxinas que produzem.

Na proposta apresentada, um UAV líder, com processamento de imagens inteligente embarcado para identificação das regiões de interesse, aplica um planejamento de trajetória informativa para os múltiplos UAVs seguidores. Cada um deles pousa na água, sobre os pontos indicados, para medir o nível de clorofila por fluorescência. Esses dados são enviados de volta ao líder, que constrói um mapa. A capacidade inovadora de sensoriamento colaborativo por ar e água fornece uma solução de engenharia e ciência de ponta a potenciais clientes, de plantas hidrelétricas a turismo.

“Vislumbramos na participação da competição a possibilidade de interagir com outros grupos e empresas internacionais da mesma área de pesquisa e desenvolvimento, o que ampliará nossos horizontes de aplicação e crescimento do grupo”, diz a Dra. Kelen Vivaldini, professora na UFSCar e integrante da equipe vencedora.

Um projeto sueco da Chalmers University of Technology também teve destaque na competição, e a proposta buscava ajudar pessoas em situações chamadas “prontos de estrangulamento”. “Um exemplo é o Mediterrâneo, na Europa, onde infelizmente muitas pessoas têm perdido a vida tentando fugir de certas regiões”, explica o Prof. Ola Benderius, membro do time Chalmers. Logo, a motivação do trabalho foi auxiliar as equipes de resgate em momentos de crise, em que a intervenção humana não é suficiente.

A solução técnica consiste na utilização de três tipos de drones: uma base flutuante, uma frota de drones com asas fixas e um quadricóptero. Os veículos de asas fixas partem da base para fazer buscas e usam câmeras comuns e de infravermelho. Quando algo é encontrado, um sinal é enviado ao flutuante, que replica o comando para a terra firme. Durante a operação de salvamento, o quadricóptero envia imagens em tempo real para a equipe de resgate, cobrindo todas as áreas possíveis.

Resultados

O juri da competição se apoiou em múltiplos critérios, tais como nível de inovação, capacidade e força de geração de negócios. Além, é claro, de avaliar a complexidade em termos de soluções de engenharia e também a originalidade da contribuição científica. “Por ser um projeto binacional, traz elementos de colaboração, diferentes perspectivas e integração. Competições geram ambientes e condições motivacionais únicas para se estudar, aprender e agilizar a implementação de novos métodos e tecnologias”, finaliza o Prof. Caurin.

Fonte: Defesa em Foco

Saab inciará a fase de entrega do Gripen E

0

Google News

Em novembro, a Saab dará início a fase de entrega de aeronaves operacionais, com quatro aeronaves Gripen E para o Brasil e outras para a Suécia. Formas inteligentes de trabalho, tecnologias de produção inovadoras e uma estreita cooperação com os clientes foram fundamentais alcançar este importante marco do programa, que segue o cronograma acordado com os clientes brasileiros e suecos.

blank

No ano passado, a empresa iniciou as entregas para o programa conjunto de testes e verificação do Gripen E. Uma aeronave monoposto está na base da Força Aérea de Malmen, em Linköping, na Suécia, e outra no Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC), localizado na fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP). Somados as instalações da Saab em Linköping, existem no total três locais de teste em dois países.

“No total, nove Gripen E estão prontos e voando, com outros chegando no final deste ano. A parte crítica de ensaios em voo do programa está quase completa. Agora, nos concentramos na verificação e declaração para alcançar o Certificado de Tipo Militar, no desenvolvimento tático contínuo e atividades para permitir a entrega completa do sistema de armas”, disse Mikael Olsson, head de Teste e Verificação de Voo na Saab Aeronautics.

Taxa de produção plena

 A velocidade aumenta nos ensaios em voo do Gripen E e também nas instalações de produção, que alcançará a taxa de produção plena em Linköping durante o próximo ano. Cerca de 30 Gripen E estão na linha de montagem, o que significa que a Saab fabrica perto de um terço dos caças da sua atual carteira de pedidos.

“Percorremos um longo caminho e estabelecemos um processo de produção maduro em um período muito curto. Todas as nossas experiências anteriores, o uso de tecnologia de produção inovadora, os processos e métodos simplificados, incluindo o nosso pessoal, nos ajudam a chegar na taxa de produção completa no próximo ano”, contou Matti Olsson, head de Produção na Saab.

blank

Nas instalações de produção em Linköping, brasileiros e suecos trabalham lado a lado. A montagem estrutural e final, instalação e outras atividades relacionadas à fabricação de aeronaves empregam atualmente mais de 1.000 funcionários. Antes das etapas mencionadas, há também um envolvimento substancial de fornecedores externos e oficinas internas para fabricação de detalhes relacionados à produção de peças e montagem estrutural.

Durante o desenvolvimento e fabricação do Gripen E, tecnologias e técnicas de produção líderes mundiais são utilizadas para economizar tempo e custos, tais como fabricação de aditivos (AM), usinagem de 5 eixos de alta velocidade, novo método de moldagem de metal e peças sob água com explosivos e Definição Baseada em Modelos (MBD).

Sem mais diagramas

Graças ao MBD e às novas tecnologias, o tempo de aprovisionamento e os custos de desenvolvimento e fabricação são reduzidos em 50%. Com o MBD, um modelo 3D de um produto contém todas as informações necessárias, tais como dimensões, tolerâncias, métodos de fabricação e montagem, materiais, entre outros. Com isso, a Saab concentra todos os dados em um só lugar – apresentadas em uma tela de computador, o que tem um grande impacto em toda a cadeia de desenvolvimento e produção.

“Com o MBD, todos os diagramas tradicionais são reunidos em um único modelo 3D. O resultado é uma construção mais rápida e uma qualidade muito maior do produto final. Todas as peças se encaixam sem qualquer retificação ou correção. Podemos verificar a solidez, função e disponibilidade antes de entrar na linha de produção. Todas as questões, desafios e problemas tradicionais podem ser avaliados e problemas potenciais inesperados podem ser evitados”, explicou Olsson.

Transferência extensiva de tecnologia

No Brasil, o desenvolvimento, os ensaios em voo e a produção estão ocorrendo como parte do amplo pacote de transferência de tecnologia para o país. Até o momento, mais de 260 engenheiros e técnicos, de um total de mais de 350 profissionais brasileiros, já foram treinados na Suécia.

O Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN), localizado na fábrica da Embraer, em Gavião Peixoto (SP), é o hub de transferência de tecnologia e desenvolvimento do caças Gripen no Brasil desde 2016. No local, brasileiros e suecos trabalham em aéreas como sistemas veiculares, engenharia aeronáutica, projeto de estruturas de aeronaves, integração de sistemas, aviônica, interface homem-máquina e comunicações.

O primeiro caça Gripen E chegou ao Brasil em setembro de 2020 e, desde então, participa de ensaios em voo no Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC), que faz parte do GDDN. O GFTC está totalmente integrado ao programa de testes em execução na Saab, em Linköping, desde 2017. Ele coleta, em tempo real, as informações de telemetria dos voos, de forma criptografada, que são posteriormente analisadas pelos pilotos, técnicos e engenheiros envolvidos na campanha de testes realizada no Brasil e na Suécia.

A fábrica de aeroestruturas da Saab em São Bernardo do Campo (SP) já produz quatro segmentos de aeroestruturas: o cone de cauda, os freios aerodinâmicos, o caixão das asas e a fuselagem dianteira do Gripen E. Paralelamente, os investimentos em infraestrutura e preparação da linha de produção da Embraer, em Gavião Peixoto, estão avançando. Técnicos de produção da Embraer estão na Suécia fazendo seu treinamento on-the-job e trabalhando diretamente na produção das quatro primeiras aeronaves Gripen brasileiras que estão em fase final de produção.

 

Benefícios mútuos

O Brasil não é o único cliente que recebe essa oportunidade. A Saab oferece a todos os clientes Gripen programas substanciais de Transferência de Tecnologia, que traz benefícios mútuos. A Finlândia tomará uma decisão até o final do ano em relação a novos aviões de combate e, para atender suas necessidades, a Saab oferece uma extensa parceria para além do Gripen e do GlobalEye.

“Para construir a Segurança de Fornecimento, manutenção, reparo e capacidade de revisão na Finlândia, estamos propondo a produção local e a montagem de aeronaves Gripen no país. A Saab vê isto como benéfico para a estratégia global de produção e, naturalmente, também prevê que a Finlândia seja integrada na nossa capacidade de montagem, produção e capacidade MRO (Manutenção, Reparo e Operações)”, disse Magnus Skogberg, diretor da Campanha Gripen para a Finlândia na Saab.

“Também oferecemos à Finlândia o estabelecimento de um centro de sistema local para o Gripen e o GlobalEye, que formará um hub para a sustentação do país e outras capacidades de desenvolvimento”, finalizou Skogberg.

Fonte: Defesa em Foco

ABIMDE comemora resultados da Milipol Paris e se prepara para a Dubai Air Show

0

Google News

Foi positivo o balanço da participação da ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) e associadas na Milipol Paris 2021. Agora a ABIMDE se prepara para levar um novo grupo de indústrias para a Dubai Air Show, entre os dias 14 e 18 de novembro.

A Milipol Paris 2021 aconteceu de 19 a 22 de outubro. Foram quatro dias de muita movimentação no Pavilhão Brasil, que recebeu representantes de empresas públicas e privadas de vários países. Além da ABIMDE, estavam presentes as empresas associadas BCA, CBC, Condor, Kryptus, M&K, Taurus e VMI.

“As atividades econômicas de defesa e segurança do Brasil estão consolidadas sobre base que comporta portfólio de produtos inovadores e presença internacional expressiva. A participação brasileira na Milipol 2021 reflete a pujança da indústria de defesa nacional, bem como sua importância estratégica para alavancar a inovação tecnológica e o desenvolvimento de nosso país”, disse o chefe do setor comercial e de investimentos (SECOM) da Embaixada do Brasil na França, Wagner Alves.

O Diretor de Projetos da ABIMDE, Comandante Paulo Albuquerque, avalia como muito positiva as oportunidades geradas durante a Milipol Paris 2021. “As nossas associadas fortaleceram seu networking e fizeram boas prospecções, que podem render bons resultados”, disse.

Albuquerque lembra que a BIDS (Base Industrial de Defesa e Segurança) nacional estará representada em outras três feiras internacionais este ano –a Dubai Air Show (de 14 e 18 de novembro, nos Emirados Árabes), a Edex 2021 (29 de novembro a 2 de dezembro, no Egito), e a Expodefensa (29 de novembro e 1 de dezembro, na Colômbia)– e também na 6ª Mostra BID Brasil, que acontecerá de 7 a 9 de dezembro, em Brasília (DF).

A Dubai Air Show reunirá as indústrias líderes do mercado aeroespacial e de defesa, com exibição de aeronaves, produtos e tecnologias inovadoras. As empresas brasileiras com presença confirmada na feira de Dubai são a Akaer, Atech, A.S. Avionics Services, CDS, Embraer, LACE, Mac Jee e Saipher.

Fonte: Defesa em Foco

Após Milipol Paris, ABIMDE e associadas estão prontas para a Dubai Air Show

0

Foi positivo o balanço da participação da ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) e associadas na Milipol Paris 2021. Agora a ABIMDE se prepara para levar um novo grupo de indústrias para a Dubai Air Show, entre os dias 14 e 18 de novembro.

A Milipol Paris 2021 aconteceu de 19 a 22 de outubro. Foram quatro dias de muita movimentação no Pavilhão Brasil, que recebeu representantes de empresas públicas e privadas de vários países. Além da ABIMDE, estavam presentes as empresas associadas BCA, CBC, Condor, Kryptus, M&K, Taurus e VMI.

“As atividades econômicas de defesa e segurança do Brasil estão consolidadas sobre base que comporta portfólio de produtos inovadores e presença internacional expressiva. A participação brasileira na Milipol 2021 reflete a pujança da indústria de defesa nacional, bem como sua importância estratégica para alavancar a inovação tecnológica e o desenvolvimento de nosso país”, disse o chefe do setor comercial e de investimentos (SECOM) da Embaixada do Brasil na França, Wagner Alves.

O Diretor de Projetos da ABIMDE, Comandante Paulo Albuquerque, avalia como muito positiva as oportunidades geradas durante a Milipol Paris 2021. “As nossas associadas fortaleceram seu networking e fizeram boas prospecções, que podem render bons resultados”, disse.

Albuquerque lembra que a BIDS (Base Industrial de Defesa e Segurança) nacional estará representada em outras três feiras internacionais este ano –a Dubai Air Show (de 14 e 18 de novembro, nos Emirados Árabes), a Edex 2021 (29 de novembro a 2 de dezembro, no Egito), e a Expodefensa (29 de novembro e 1 de dezembro, na Colômbia)– e também na 6ª Mostra BID Brasil, que acontecerá de 7 a 9 de dezembro, em Brasília (DF).

A Dubai Air Show reunirá as indústrias líderes do mercado aeroespacial e de defesa, com exibição de aeronaves, produtos e tecnologias inovadoras. As empresas brasileiras com presença confirmada na feira de Dubai são a Akaer, Atech, A.S. Avionics Services, CDS, Embraer, LACE, Mac Jee, M&K Logistics e Saipher.

Fonte: Defesa em Foco

ENTREVISTA – Giacomo Feres Staniscia, Diretor de Negócios de Defesa e Segurança da Atech -Grupo Embraer

0

Google News

A Atech é uma empresa do grupo Embraer, reconhecida como uma “System House” brasileira. A empresa sempre se pautou pela inovação com o objetivo de ajudar a transformar o país. Com expertise em integração e engenharia de sistemas, a Atech trabalha no desenvolvimento de soluções inovadoras com aplicações nas áreas de tráfego aéreo, sistemas de comando e controle, segurança cibernética, sistemas de instrumentação e controle, sistemas embarcados, simuladores e logística. A empresa é responsável pelo desenvolvimento e modernização de todo o sistema para o gerenciamento do espaço aéreo brasileiro, além de desenvolver projetos estratégicos na área de Defesa e Segurança, que envolvem sistemas C4iSR, simulação, sistemas embarcados de missão, treinamento, entre outros. É uma das únicas empresas latino-americanas a dominar tecnologias ligadas  a sistemas de instrumentação e controle na área nuclear.

Mostra BID Brasil: Qual a importância da Mostra BID Brasil para a base de Defesa e Segurança do país?

Giacomo Feres Staniscia: A Mostra BID é um dos principais eventos de Defesa do país e uma oportunidade ímpar de fortalecimento da Base Industrial de Defesa brasileira, reunindo os players mais importantes do setor, para apresentação das novas soluções e inovações tecnológicas para o segmento, além de propiciar encontros e fomentar discussões estratégicas com as Forças Armadas, Ministério da Defesa e entidades governamentais.

Para a Atech, a Mostra BID é uma grande oportunidade de compartilhar com nossos clientes, instituições, parceiros, demais empresas e público em geral, a capacidade e expertise única da empresa em engenharia e integração de sistemas e tecnologias de consciência situacional e apoio à tomada de decisão, com um portfólio que contém soluções inovadoras com aplicações nas áreas de sistemas de comando e controle, sistemas embarcados, sistemas de proteção, segurança cibernética, treinamentos, e outros, com destaque para importantes projetos entregues no país e já exportados para outros países.

Mostra BID Brasil: Quais novidades a empresa deve apresentar nesta edição do evento?

Giacomo Feres Staniscia: Apresentaremos nosso portfólio de soluções da família Arkhe associados à engenharia e integração de sistemas, atuando no ciclo de vida completo dos sistemas, desde a concepção, passando pelo projeto, desenvolvimento, comissionamento e apoio logístico integrado, voltadas para as áreas de comando e controle, sistemas embarcados, tais como a tecnologia aplicada no Gripen, nos helicópteros H-XBR da Marinha do Brasil, sistemas de proteção e controle, destacando a nossa participação no Programa Nuclear Brasileiro, assim como no Programa Fragatas Classe Tamandaré, do qual somos fornecedores do CMS (Combat Management System) e do IPMS (Integrated Platform Management System) e receptora de transferência de tecnologia (ToT).

Estaremos focados na troca de informações e nossos representantes estarão disponíveis para discussões relacionadas ao desenvolvimento de soluções para novos programas e projetos estratégicos, destacando a nossa certificação de Empresa Estratégica de Defesa, conferida pelo Ministério da Defesa do Brasil.

Fonte: Defesa em Foco

Lançamento do Simulador de Ameaças de Próxima Geração Scorpius T AESA EW da IAI

0

Google News

A subsidiária da Israel Aerospace Industries (IAI), ELTA, tem o prazer de apresentar o sistema Training Scorpius (Scorpius T) no exercício militar Blue Flag 2021 – este foi o primeiro uso do sistema em um exercício militar internacional.

blank

O simulador de ameaças móvel, Scorpius T AESA EW (do inglês Electronic Warfare, Guerra Eletrônica), reproduz cenários de multiameças modernos de sinal denso para treinamento de tripulações e de operadores, bem como funções de teste EW. O sistema é compatível com caças de 5ª geração, com aeronaves de missão especial e com outras aeronaves. A tecnologia usa pequenas unidades transmissoras/receptoras, em oposição a uma única antena mecânica, para fornecer uma unidade de treinamento móvel capaz de simular uma variedade de cenários de combate. Além disso, o Scorpius T é o primeiro sistema a combinar a tecnologia AESA da IAI-ELTA com sistemas EW para simular várias ameaças terrestres em exercícios de treinamento.

O simulador de ameaças Scorpius T AESA EW é capaz de produzir uma assinatura RF exata de qualquer sistema, versão ou modo, para simular ciclos completos de engajamento. O sistema oferece suporte a vários feixes de simulação simultaneamente com vários sistemas de SAMs e RF inimigos e pode simular ameaças de dois e três dígitos. O banco de dados de ameaças pode ser atualizado para espelhar ameaças emergentes com base em dados relevantes. O Scorpius T pode sincronizar com outros simuladores, ADMI ou centros de comando e controle. O sistema inclui uma função de debriefing pós-missão para analisar e melhorar o desempenho.

O exercício Blue Flag reúne algumas das forças aéreas mais poderosas do mundo para um treinamento e sincronização abrangentes e rigorosos. A IAI entende que a prática leva à perfeição. É por isso que a IAI coloca pesquisa e desenvolvimento significativos em engenharia de sistemas  de treinamento que simulam cenários de combate do mundo real para preparar as forças tanto quanto possível. O novo Scorpius T é diferente de qualquer sistema de treinamento disponível, fornecendo ao usuário um gerador de cenário de combate móvel para simular uma gama completa de cenários de combate com o mínimo de tempo e de custo. Além disso, o sistema OPAL da IAI continua a ajudar as forças na sincronização de dados em tempo real, enquanto o sistema EHUD treina as aeronaves mais avançadas do mundo para enfrentar os cenários de batalha mais complexos.

Além do Scorpius T, os sistemas OPAL e EHUD da IAI também estão no Blue Flag 2021.

EHUD AACMI: O sistema de instrumentação de manobra de combate aéreo autônomo é um sistema único de treinamento de combate aéreo em tempo real, debriefing e aprimoramento de segurança para pilotos de aeronaves de caça. O EHUD permite o treinamento ao vivo em um nível sofisticado – incluindo o disparo simulado de armamento, avaliações de acertos e erros em tempo real e capacidades excepcionais de debriefing. O sistema de treinamento EHUD ACMI está em uso na Força Aérea Israelense (IAF) desde 2017 e também esteve na Blue Flag 2019. Pela primeira vez, o sistema EHUD processou dados dos caças israelenses F35I Adir e F35B italianos. Além disso, imagens de alvos móveis foram transferidas em tempo real para a aeronave, junto com os efeitos dos lançamentos de defesa aérea de sistemas de armas reais e simulados. Combinado com esses efeitos virtuais ao vivo, o EHUD forneceu a todos os participantes o ambiente de combate mais realista e completo e a melhor experiência que eles poderiam obter com esse exercício.

OPAL: Na Blue Flag 2021, a Força Aérea Israelense (IAF) simulará, junto com as forças aéreas estrangeiras, cenários avançados de combate que requerem coordenação e comunicação complexas. A conclusão bem-sucedida da missão é possível, em parte, graças ao sistema OPAL da IAI que opera em aeronaves da IAF. O OPAL agrega, constrói e compartilha uma imagem de combate abrangente entre as unidades participantes, permitindo o compartilhamento de informações em tempo real. A cada momento, cada plataforma participante é totalmente atualizada e sincronizada com todos os dados relacionados ao combate. Todas as unidades de combate são atualizadas imediatamente à medida que novas ameaças são identificadas. Além disso, todas as unidades de combate são atualizadas à medida que novos alvos são identificados com base em dados coletados de uma série de sensores integrados em cada plataforma aérea, permitindo, assim, a sincronização de alvos.

Fonte: Defesa em Foco

Saab leva soluções para defesa e segurança civil para SITDEF 2021

0

Google News

A Saab exibirá sua ampla gama de soluções terrestres, aéreas e navais de ponta para defesa militar e segurança civil no SITDEF PERU 2021 de 28 a 31 de outubro. Os visitantes terão acesso à informações sobre equipamentos e serviços, além da oportunidade de conhecer o trabalho desenvolvido pela companhia sueca na América Latina e no mundo em diferentes setores da indústria de defesa.

A Saab acredita que a segurança é mais do que uma necessidade, é um direito humano. Por isso, a empresa tem como objetivo fornecer soluções que ajudem os países da América Latina e em todo o mundo a manter as pessoas e a sociedade seguras. A SITDEF 2021 é uma grande oportunidade para apresentar seu portfólio de alta tecnologia para operações eficientes e a vasta experiência em integração de sistemas.

“Temos uma longa história de negócios bem-sucedidos em vários países da América Latina. Trazemos produtos de última geração para a região, com uma combinação única de alta qualidade e baixos custos de ciclo de vida, além de termos produtos e soluções inovadores que podem ser efetivamente integrados aos sistemas existentes“, ressalta Tristan Lecrivain, head regional de Vendas para países de língua espanhola na América Latina, da Saab.

Na SITDEF 2021, a Saab apresentará seu amplo portfólio de produtos e soluções, como:

·         Simulador de sistema de defesa antiaérea RBS 70 NG;

·         Família de radares Giraffe;

·         Soluções de guerra eletrônica;

·         Míssil RBS 15 SSM;

·         Sistema de comunicações integrado TactiCall;

·       Soluções de sistemas terrestres (Carl-Gustaf M4, Treinamento & Simulação e Sistema de Camuflagem Multiespectral);

·         Docksta CB90.

Para obter informações mais detalhadas sobre os produtos e soluções listados, visite Saab na SITDEF 2021.

Fonte: Defesa em Foco

Celebração de acordo entre a Defesa e a Câmara Brasileira de Comércio na Suécia

0

Google News

O Ministério da Defesa e a Câmara Brasileira de Comércio na Suécia (BrazilCham Sweden) assinam hoje um Protocolo de Intenções, na sede do MD. O propósito da parceria, coordenada pela Secretaria de Produtos de Defesa (SEPROD), é estabelecer as diretrizes básicas para a organização e a implementação de iniciativas conjuntas relacionadas com pesquisa, desenvolvimento, promoção comercial, financiamentos, investimentos, seguros e garantias. A iniciativa é importantíssima para o fortalecimento da Base Industrial de Defesa brasileira (BID), que hoje representa 4,46% do PIB brasileiro, gerando 2,9 milhões de empregos diretos e indiretos.

blank
Alexandre Manfrim/Ministério da Defesa
blank
Alexandre Manfrim/Ministério da Defesa

A intenção do Protocolo de Intenções é ampliar a pauta de exportações de bens e serviços de defesa e segurança do Brasil para a Suécia. Essa troca de experiências irá contribuir para o desenvolvimento de novos fluxos de conhecimento, comércio, financiamentos e de investimentos no setor de defesa e segurança, bem como no fortalecimento das relações bilaterais entre os dois países.

O prazo de vigência deste Protocolo de Intenções será de 36 meses a partir da assinatura, podendo ser prorrogado, mediante a celebração de aditivo.

As relações comerciais e industriais entre Brasil e Suécia foram intensificadas nos últimos anos, principalmente no tocante ao setor de defesa, em decorrência da decisão brasileira pela aquisição da aeronave de caça sueca Gripen. Nesse contexto, a Câmara Brasileira de Comércio na Suécia tornou-se importante parceira na interlocução entre as autoridades brasileiras e as agências estatais suecas, bem como na promoção de eventos internacionais, focados na área de financiamentos para projetos de defesa.

Aproveitando o bom momento vivenciado nas relações comerciais entre os dois países, a assinatura desse importante instrumento oferecerá a possibilidade de promover variadas formas de arranjos entre empresas do setor de defesa e segurança, com diversificação e fortalecimento da pauta de exportações de bens e serviços nessa área.

Fonte: Defesa em Foco

Taurus adquire centro de torneamento para lançar cada vez mais produtos em menor tempo

0

Google News

A Taurus, Empresa Estratégica de Defesa e uma das maiores fabricantes de armas do mundo, investiu cerca de 1 milhão de dólares e conta com um novo centro de torneamento para produzir protótipos. O moderno maquinário proporcionará ainda mais agilidade no lançamento de novos produtos e proporcionará a ampliação do portfólio produzido na fábrica de São Leopoldo (RS).

O centro de torneamento Hyundai SE2200, de origem sul-coreana, realiza ao mesmo tempo o torneamento – processo de usinagem usado para fabricar peças cilíndricas – e fresamento – processo de usinagem para criar engrenagens, estriados e coroa de comando. O novo equipamento maximiza a produtividade. A usinagem acontece em alta velocidade com ótima rigidez e precisão dimensional durante o processo.

blank

Ao longo dos últimos anos, a Taurus vem investindo fortemente em inovação. Criou o Centro Integrado de Tecnologia e Engenharia Brasil/Estados Unidos – CITE, que proporciona agilidade no desenvolvimento de produtos e tecnologia, sempre com foco nos desejos dos clientes e em linha com as mais avançadas soluções tecnológicas do mundo, realizou parcerias estratégicas para Pesquisa & Desenvolvimento com a Universidade de Caxias do Sul (UCS) e a UNISINOS, adquiriu outros equipamentos que também permitem maior produção de protótipos, tais como: centros de usinagem CNC de 5 eixos, eletroerosão a fio multi-eixos e impressoras 3D de polímeros e metais.

“Um dos grandes diferencias da Taurus no mercado é a quantidade de novos produtos lançados e a tecnologia aplicada neles. Para isso, seguimos investindo em tecnologia e modernos equipamentos para suportar e aumentar a velocidade do processo de P&D e assegurar à Taurus sua posição de líder mundial no mercado de armas”, afirma o CEO Global da Taurus, Salesio Nuhs.

Fonte: Defesa em Foco

NUCLEP recebe comitiva da Escola Técnica do Arsenal de Marinha

0

Google News

A NUCLEP recebeu na última terça-feira (19), a visita da Escola Técnica do Arsenal de Marinha (ETAM) que oferece cursos com especialidades voltadas para estruturas navais e de metalurgia. Essa visita faz parte de uma estratégia de capacitação da mão de obra industrial da Marinha para enriquecer a formação para os alunos.

A comitiva foi recepcionada pelo Diretor Industrial, CMG (EN) Alexandre Magalhães, pelos Gerentes Gerais de Fabricação e Supervisão Nível III, Cezar França, e de Planejamento, Controle e Treinamento, Márcio Froufe e de Produção, Luiz Mario Alcantara.

Faziam parte da comitiva, o Diretor da ETAM, CF (EN) Sandro Melo Marques, a Coordenadora CC (AA) Catia de Oliveira Carvalho, três instrutores da escola, e cerca de 36 alunos. A visita começou com uma breve apresentação da história e infraestrutura da NUCLEP e em seguida os visitantes foram conhecer as instalações do Centro de Treinamento Técnico (CTT) e as duas fábricas.

O grupo ficou impressionado com a capacidade fabril diferenciada da empresa. Também observaram de perto partes da obra de fabricação pela NUCLEP do BLOCO 40, parte do protótipo do reator nuclear que está sendo desenvolvido no Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP).

“Foi muito importante identificar ex-alunos da ETAM que hoje são funcionários da NUCLEP, os depoimentos vão motivar os alunos. A sociedade brasileira precisa ter entendimento do que a NUCLEP representa no desenvolvimento na área do Ministério de Minas e Energia. Sentimos bastante satisfação, não só como militares, mas também como brasileiros”, disse o Diretor da ETAM, CF (EN) Sandro Melo Marques.

Fonte: Nuclep

Fonte: Defesa em Foco