Home Notícias Construção do Navio de Apoio Antártico (NApAnt) vai gerar 6.600 empregos no ES

Construção do Navio de Apoio Antártico (NApAnt) vai gerar 6.600 empregos no ES

0
Construção do Navio de Apoio Antártico (NApAnt) vai gerar 6.600 empregos no ES

Google News

O Estaleiro Jurong Aracruz venceu a concorrência e irá construir o Navio de Apoio Antártico (NApAnt) para a Marinha brasileira, o que vai criar 600 empregos diretos nas obras e outros 6 mil empregos indiretos.

A informação foi confirmada pelo comandante da Marinha do Brasil, o almirante de esquadra Almir Garnier Santos, que fez o anúncio ontem, a bordo do Navio-Aeródromo Multipropósito Atlântico, com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

O número de empregos foi informado pela Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), estatal federal do setor naval.

O Estaleiro Jurong Aracruz foi o vencedor da licitação, superando os finalistas Kership S.A.S e Damen Shipyards/Wilson Sons Estaleiros.

“Abre um mercado diferente para a Jurong, que estava mais focada nas plataformas marítimas e navios de petróleo e gás. Isso mostra o potencial do Estado para esse novo tipo de mercado”, comenta o consultor empresarial Durval de Freitas.

As vagas serão preenchidas diretamente com a Jurong e por meio de empresas terceirizadas, via Sines locais. A expectativa da Marinha é de que o novo navio seja construído até 2025.

O NApAnt deverá ter capacidade para 102 tripulantes e será construído para substituir e realizar as mesmas missões do Navio de Apoio Oceanográfico (NApOc) Ary Rongel, com capacidades aprimoradas, em função da experiência da Marinha no Programa Antártico Brasileiro (Proantar) e dos requisitos de apoio à nova Estação Antártica Comandante Ferraz.

O NApOc Ary Rongel foi incorporado à Marinha do Brasil em abril de 1994 e, a partir de então, a cada ano, opera em média durante seis meses na Antártida.

O consultor empresarial Leonardo Veloso, que já esteve a bordo do Ary Rongel e foi pesquisador da Marinha em 2001, explica que o antigo navio já era excelente, mas que o NApAnt será construído para se adaptar à nova estação brasileira de pesquisa na Antártida.

“O NApOc iria sair de operação em 2016, mas vai ficar ativo até o novo ficar pronto. A grande vantagem do NApAnt é que ele exige um número menor de gente para operá-lo, o que significa espaço para mais pesquisadores.”

SAIBA MAIS

Jurong venceu concorrência

  • Três consórcios disputaram a fase final da concorrência da Marinha do Brasil para obtenção de um navio de apoio Antártico (NApAnt).
  • O Estaleiro Jurong Aracruz foi o vencedor, superando as propostas da Damen Shipyards/Wilson Sons Estaleiros e da Kership S.A.S (joint venture entre as francesas Piriou e Naval Group).

Substituição

  • O NApAnt substituirá e desenvolverá as mesmas missões do navio de apoio oceanográfico (NApOc) Ary Rongel, com capacidades aprimoradas, em função da experiência da Marinha no Programa Antártico Brasileiro (Proantar) e dos requisitos de apoio à nova Estação Antártica Comandante Ferraz.

Tarefas

  • O novo navio dará apoio logístico ao Programa Antártico Brasileiro (Proantar), por meio do transporte de pessoal e material para a Estação Antártica “Comandante Ferraz”.
  • Também fará transporte de pesquisadores e equipamentos científicos para determinados sítios do continente gelado, onde são necessárias as pesquisas do programa científico nacional.
  • E também coletará dados ambientais em prol da segurança da navegação no Oceano Antártico.

Características

  • Poucas informações foram divulgadas sobre o novo navio. O que se sabe até o momento é que ele terá capacidade para 102 tripulantes e demandará menos pessoas na operação, o que abrirá mais vagas para pesquisadores.
  • Além disso, contará com os seguintes equipamentos: ecobatímetro monofeixe de tripla frequência, com capacidade de obter dados de até 10 mil metros de profundidade; sensor de movimento para o sistema de oceanografia; sensor giro-GPS para o sistema de oceanografia (ADCP) e meteorologia; perfilador de correntes por efeito doppler acústico (ADCP) com frequência de 75 khz e fixo no casco; termossalinógrafo e receptor de imagens meteorológicas de satélites em órbita polar.

E o antigo?

  • O NApOc Ary Rongel foi construído na Noruega em 1981 e foi incorporado à Marinha do Brasil em abril de 1994 para substituir o Barão de Teffé (H-42). A partir de então, a cada ano, opera em média durante seis meses na Antártida.

Fonte: Marinha do Brasil e a Tribuna Online.

Fonte: Defesa em Foco

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here