Brasil e Arábia Saudita Vislumbram Comércio Bilateral de US$ 20 Bilhões

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou com o Príncipe Herdeiro e Primeiro-Ministro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, em Riad, capital saudita. Este encontro estabeleceu as bases para um aumento substancial no comércio bilateral, com a expectativa de que ele cresça dos atuais US$ 8 bilhões para US$ 20 bilhões até 2030.

Investimentos Sauditas em Diversos Setores Brasileiros

Um ponto chave da discussão foi o investimento planejado de US$ 10 bilhões pelo Fundo Soberano Saudita no Brasil. Com US$ 9 bilhões previstos para os próximos sete anos, o foco será em setores como energia limpa, hidrogênio verde, defesa, ciência e tecnologia, agropecuária, além de infraestrutura ligada ao Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O Brasil na Transição Energética e Crise Climática

Lula destacou o papel do Brasil na transição energética e no combate à crise climática. Ele mencionou que o país apresentará na COP 28, em Dubai, progressos no controle do desmatamento e ações voltadas para a preservação e proteção das florestas tropicais, um tema de relevância global.

Parceria Estratégica e Interesses Comuns

Mohammed bin Salman enfatizou a posição de liderança econômica do Brasil e da Arábia Saudita em suas respectivas regiões, indicando que uma parceria mais forte e estratégica seria benéfica para ambos. O príncipe herdeiro expressou interesse em visitar o Brasil, com ênfase na Amazônia, ressaltando a importância da região.

A Importância Estratégica do G-20 e BRICS

Durante a reunião, foi discutida a relevância estratégica da presidência brasileira do G-20, que começa em dezembro, e a entrada da Arábia Saudita no BRICS. Mohammed bin Salman demonstrou interesse em uma participação ativa no Novo Banco de Desenvolvimento do bloco, marcando um passo significativo na cooperação econômica internacional.

Com info da Agência Brasil

Fonte: Defesa em Foco