Angra 1 Retoma Operações e se Reconecta ao Sistema Interligado Nacional Após Manutenção

Eletronuclear

A usina nuclear Angra 1, após uma parada programada para troca de combustível nuclear e manutenções preventivas, foi reconectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) nesta sexta-feira (15). Este retorno marca o final de um período intensivo de manutenção, que incluiu a execução de mais de cinco mil tarefas essenciais para garantir a segurança e a confiabilidade da usina no próximo ciclo operacional.

Detalhes da Manutenção e Participação de Especialistas

A manutenção, iniciada em 28 de outubro, contou com a participação de aproximadamente 1,3 mil profissionais, tanto nacionais quanto internacionais. Entre as atividades realizadas estiveram a substituição de barras de controle do reator, a manutenção dos transformadores principais e auxiliares, a revisão das turbinas de vapor, e a inspeção volumétrica na tampa do vaso de pressão do reator.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Atingindo a Plena Capacidade Operacional

Com a finalização desta etapa de manutenção, a previsão é que Angra 1 alcance 100% de sua potência operacional nos próximos dias. Este marco é crucial para assegurar a continuidade e eficiência no fornecimento de energia elétrica, um aspecto fundamental para o desenvolvimento e estabilidade energética do Brasil.

Extensão de Vida Útil da Usina

O superintendente de Angra 1, Abelardo Vieira, ressaltou que, além das tarefas de manutenção e segurança, esta parada proporcionou a execução de atividades relacionadas ao processo de extensão de vida útil da usina por mais 20 anos. Essa extensão é vital para o aproveitamento sustentável dos recursos energéticos e para o planejamento energético de longo prazo do país.

Compromisso com a Segurança e Eficiência Energética

A reconexão de Angra 1 ao SIN, após uma parada programada bem-sucedida, reforça o compromisso do Brasil com a segurança, a eficiência e a sustentabilidade no setor energético. Essas manutenções e melhorias garantem não apenas a operação segura da usina, mas também a confiabilidade do sistema elétrico nacional.

Com info da Agencia Brasil

Fonte: Defesa em Foco