FINEP Investe em Inovação Aeroespacial e Mobilidade Urbana no Brasil

Anúncio dos novos contratos da FINEP; ao centro, a ministra Luciana Santos (Divulgação/MCTI)

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), anunciou a assinatura de novos contratos de subvenção econômica que representam um marco no desenvolvimento tecnológico da indústria aeroespacial brasileira. Esses contratos, que totalizam um investimento de R$ 494 milhões, focam em dois projetos principais: o desenvolvimento de veículos lançadores de nano e microssatélites e novas soluções para mobilidade urbana com eVTOLs.

Investimento em Veículos Lançadores de Satélites e Mobilidade Urbana

Dos investimentos anunciados, R$ 375 milhões serão destinados a projetos de veículos lançadores de satélites, enquanto R$ 119 milhões visam impulsionar o desenvolvimento de eVTOLs, aeronaves autônomas destinadas à mobilidade urbana. Estes projetos não só fortalecem o setor aeroespacial do país, mas também abrem caminhos para inovações em mobilidade urbana.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Presença de Autoridades e Representantes do Setor

FINEP 2
O vice-presidente da AIAB José Serrador Neto (Divulgação/MCTI)

A solenidade de anúncio contou com a presença de autoridades como a ministra Luciana Santos, o presidente da FINEP, Celso Pansera, e o diretor da Agência Espacial Brasileira (AEB), Rodrigo Leonardi, entre outros. José Serrador Neto, vice-presidente da Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil (AIAB) e vice-presidente de Relações Institucionais da Embraer, destacou a importância desse investimento para o setor.

Compromisso com a Inovação e a Soberania Tecnológica

Estes contratos reafirmam o compromisso do Brasil com a inovação no setor aeroespacial e a busca por autonomia em tecnologias estratégicas. A iniciativa é crucial para a soberania nacional em áreas como defesa, telecomunicações e monitoramento ambiental, especialmente considerando que atualmente apenas 13 nações dominam a tecnologia de lançadores de satélites.

Impacto no Desenvolvimento Econômico e Tecnológico

Os projetos vão além do impacto direto na indústria aeroespacial, com repercussões significativas no desenvolvimento econômico, educacional e tecnológico do Brasil. Eles promovem a cooperação entre empresas e instituições de inovação tecnológica, geram empregos e fortalecem a competitividade da indústria aeroespacial brasileira no cenário global.

Projetos Liderados pela AIAB

Entre os projetos selecionados pela FINEP, estão os liderados por associadas da AIAB, como a CENIC e a Xmobots. A Akaer, em parceria com a CENIC, desenvolverá veículos lançadores de nano e microssatélites, enquanto a Xmobots se concentrará no desenvolvimento de eVTOLs para mobilidade urbana.

Fonte: Defesa em Foco