Sucesso de Vendas e Inovação em Defesa

Contra as percepções do mercado financeiro, o presidente da Embraer Defesa & Segurança, João Bosco Costa Jr., esclarece que as vendas do avião militar de carga C-390 não têm sido frustrantes. Ele destaca a natureza diferenciada das compras de defesa, salientando que o tempo de maturação desses contratos pode levar até cinco anos. A visão da empresa é de que não há estagnação, mas uma evolução natural para o momento certo de cada negociação.

Sucesso nas Vendas e Futuro Promissor

O C-390, desenvolvido em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB), já tem vendas confirmadas para países como Brasil, Portugal, Hungria, Holanda, Áustria, República Tcheca e Coreia do Sul. A Embraer vê o governo brasileiro como um aliado crucial na facilitação dessas vendas, com expectativas particularmente altas para negociações em andamento com a Arábia Saudita e a Índia.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Evolução do C-390

Costa Jr. ressalta que o sucesso recente nas vendas do C-390 é resultado de esforços contínuos e do desenvolvimento de um produto sem paralelo na categoria. Desde a entrada em operação na FAB em 2019, o avião tem demonstrado desempenho excepcional, o que contribuiu significativamente para o sucesso das vendas em 2023.

Desafios e Estratégias para Vendas Futuras

Em relação às negociações com a Arábia Saudita e a Índia, a Embraer está explorando várias possibilidades, incluindo a transferência de algumas atividades do C-390 para esses países. Essas estratégias abrangem desde a montagem final da aeronave até a fabricação de peças e treinamento.

Redução na Encomenda da FAB

A encomenda original de 28 aviões C-390 pela FAB foi reduzida para 19, uma decisão técnica baseada na alta performance do avião. Segundo Costa Jr., esse ajuste já foi absorvido e faz parte do passado da empresa.

Expectativas para 2024

A Embraer Defesa & Segurança tem expectativas altas para 2024 e 2025, prevendo a expansão do C-390 no mercado global. O presidente da empresa expressa confiança em repetir ou até superar os resultados obtidos em 2023.

Fonte: Defesa em Foco