Por Darren Koch - Wikimedia

PODS DE GUERRA ELETRÔNICA DA BAE SYSTEMS PROTEGERÃO AERONAVES P-8A POSEIDON DA MARINHA DOS EUA

A BAE Systems recebeu um contrato de US$ 95 milhões da Marinha dos Estados Unidos para fornecer pods avançados de contramedidas para aeronaves P-8A Poseidon. Esses pods de guerra eletrônica (EW) detectarão e neutralizarão ameaças, protegendo a aeronave multimissão e sua tripulação em ambientes de alta disputa.

“Estamos trabalhando em estreita colaboração com a Marinha dos EUA para oferecer soluções inovadoras para proteger essa aeronave crítica e de alto valor”, afirmou Don Davidson, diretor de Soluções de Guerra Eletrônica Compactas Avançadas da BAE Systems. Segundo Davidson, o sistema prototipado rapidamente utiliza tecnologia comprovada para defesa contra ameaças guiadas, tanto ar-ar quanto superfície-ar.

O pod de sobrevivência da BAE Systems oferece detecção antecipada de ameaças e contramedidas eficazes, protegendo ativos aéreos de alto valor dos EUA e de outros países. Seu design flexível e de arquitetura aberta permite modernização rápida e econômica, compatível com futuros recursos de detecção e contramedidas, além de poder hospedar técnicas EW de terceiros.

O contrato de Desenvolvimento de Engenharia e Manufatura (EMD) segue um contrato de resposta rápida da Marinha dos EUA, assinado em 2021, para demonstrar o sistema. A equipe da BAE Systems projetou, construiu e testou um pod de demonstração, evidenciando forte colaboração militar-industrial e prototipagem ágil. O contrato EMD surge após testes bem-sucedidos de aeronavegabilidade e eficácia.

O pod de autoproteção do P-8A integra a abordagem em camadas Intrepid ShieldTM da BAE Systems para a sobrevivência de aeronaves e plataformas terrestres. Utilizando todo o espectro eletromagnético, a solução detecta, explora e combate ameaças avançadas. Além disso, o pod pode ser rapidamente adaptado a outros ativos aéreos de alto valor, permitindo operações em ambientes disputados.

Os trabalhos no pod P-8A e em seus componentes estão sendo realizados nas instalações da BAE Systems em Nashua, New Hampshire, e Austin, Texas.

About marcelo barros

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

SIATT e ITA Celebram 40 Anos de Carreira de Executivos

Em um evento marcado por inovações tecnológicas e debates sobre o futuro da engenharia, o …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *