Home Blog Page 3

Embraer anuncia acordo de Pool com a KLM Cityhopper para a frota de E195-E2

0

A Embraer anunciou hoje no MRO Europe, importante evento de manutenção aeronáutica, um acordo para o Programa Pool com a KLM Cityhopper, subsidiária regional da KLM Royal Dutch Airlines. O contrato inclui amplo suporte para componentes da frota de jatos E195-E2 da companhia aérea. Atualmente, o Programa Pool atende mais de 50 companhias aéreas em todo o mundo.

A companhia aérea recebeu no início de 2021 o primeiro E195-E2 dos 25 jatos encomendados, sendo que todos os jatos E2 estão cobertos por esse contrato. Atualmente, a KLM Cityhopper já opera um total de quatro E195-E2, além de frota de 49 E-Jets de primeira geração.

“Como a companhia aérea com a maior frota de E-Jets da Europa, a KLM Cityhopper tem ampla experiência em operações e manutenção desses jatos – e padrões muito elevados, especialmente em relação à disponibilidade das aeronaves. Este contrato é um grande endosso da KLM Cityhopper e amplia a bem-sucedida atuação da Embraer no fornecimento de suporte e serviços abrangentes para os clientes de E2”, disse Johann Bordais, Presidente e CEO, Embraer Services & Suporte.

O Programa Pool permite às companhias aéreas minimizar investimentos iniciais em estoques e itens reparáveis de alto valor, aproveitando o conhecimento técnico da Embraer e sua vasta rede de prestadores de serviços de reparo de componentes. Os resultados são significativas economias em custos de reparo e manutenção de estoque, redução no espaço de armazenamento necessário e a eliminação quase total da necessidade de recursos exigidos para o gerenciamento de reparos, garantindo, ao mesmo tempo, os níveis de desempenho.

O E195-E2, aeronave de nova geração da Embraer, é projetado especificamente para reduzir emissões e poluição sonora. As credenciais ambientais do E2 impressionam. O baixo nível de ruído externo já está bem abaixo dos futuros limites planejados pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). As emissões de carbono são quase 10% mais baixas por viagem e 31% menores por assento. Em um ano normal, cada E195-E2 irá emitir 1.500 toneladas a menos de poluentes de carbono.

Fonte: Defesa em Foco

Embaixador Luís Fernando Serra visita o Pavilhão Brasil na Milipol Paris

0

O embaixador do Brasil na França, Luís Fernando Serra, visitou o Pavilhão Brasil na Milipol Paris, nesta quarta-feira (20). Ele se reuniu com representantes da ABIMDE (Associação Brasileira da Indústria de Defesa e Segurança) e das sete associadas que participam do evento.

O Pavilhão Brasil é coordenado pela ABIMDE, com apoio da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). Estão presentes no estande as empresas BCA, CBC, Condor, Kryptus, M&K, Taurus e VMI.

O embaixador conheceu o portfólio das associadas e a avançada tecnologia e inovação dos produtos apresentados aos visitantes da Milipol Paris, que é considerada a principal feira internacional de segurança interna e proteção do mundo.

“Ficamos honrados em receber o embaixador Luís Fernando Serra no Pavilhão Brasil. A presença dele valoriza a imagem das associadas aqui presentes e de toda nossa BIDS (Base Industrial de Defesa e Segurança, aqui representada pela ABIMDE”, disse o Comandante Paulo Albuquerque, Diretor de Projetos da ABIMDE.

A Milipol Paris 2021 teve início na terça-feira (19) e termina nesta sexta (22).

Fonte: Defesa em Foco

IAI apresenta o REX MK II, seu novo veículo terrestre não tripulado multimissão

0

A IAI (Israel Aerospace Industries) apresentou o REX MK II, a mais nova plataforma terrestre não tripulada, destinada a manter a segurança das tropas em circunstâncias complexas, na mostra DSEI (Defense and Security Equipment International), em Londres, realizada entre os dias 14 e 17 setembro.

O REX MK II, já vendido para clientes em todo o mundo, é um veículo terrestre não tripulado adaptado a uma variedade de missões, com capacidade para manobras avançadas e transporte de até 1,3 tonelada de carga. 

A nova plataforma elétrica híbrida, com tração nas quatro rodas, apoia as forças de combate na coleta de inteligência, fornecendo suporte logístico e apoio na execução de ataques remotos. Se trata de um veículo terrestre, com recursos de comando e controle autônomos, que pode ser operado por um único operador por meio de comunicação sem fio.

Apoio, inteligência e ataque

O REX MK II multimissão destina-se a apoiar as forças terrestres de infantaria em vários estágios do combate. Isso inclui o fornecimento de assistência logística às tropas, levando suprimentos de munição, equipamentos médicos essenciais, água e alimentos, bem como evacuando o pessoal ferido em macas. O sistema também pode coletar inteligência por meio de um sistema de consciência situacional que incorpora sensores eletro-ópticos e radar.

O REX MK II também permite a realização de ataques usando sistemas de armas controlados remotamente, incluindo uma metralhadora 7.62 mm, uma metralhadora pesada calibre 0.50, e uma plataforma multimissão e multiuso para apoiar missões adicionais com base nas necessidades das tropas.

O novo REX MK II se junta a outras plataformas operacionais não tripuladas desenvolvidas pela IAI, incluindo o Jaguar, uma plataforma terrestre não tripulada para defesa de fronteiras, coleta de inteligência e execução de ataques; o RobARC, uma plataforma operacional não tripulada para descobrir e destruir dispositivos explosivos subterrâneos e no nível do solo; o Robattle, plataforma operacional robótica terrestre com alta manobrabilidade, que realiza missões complexas em condições difíceis, com rapidez e segurança; e o RobDozer, uma escavadeira não tripulada destinada a realizar missões complexas de engenharia militar em zonas de perigo.

Zvika Yarom, Diretor Geral da Divisão Terrestre da IAI, disse: “A necessidade de apoiar as forças terrestres no campo para realizar várias missões, ao mesmo tempo em que minimiza as ameaças à vida dos soldados, está no cerne de nossos valores aqui na Israel Aerospace Industries. Este sistema é resultado do aproveitamento da nossa experiência de décadas com UAVs [sigla do inglês Unmanned Aerial Vehicle, veículo aéreo não tripulado] para implementação dos veículos terrestres. As plataformas terrestres não tripuladas da IAI estão em uso, operando ao longo das fronteiras de Israel e em diferentes unidades de combate, bem como em outros locais ao redor do mundo. Estamos experimentando um aumento na demanda de clientes por plataformas terrestres não tripuladas.”

Com o uso de tecnologias avançadas, os sistemas da IAI podem reconhecer ameaças, empregar medidas de defesa ativas e passivas e dar suporte aos “sensor-to-shooter loops” em tempo real e de forma autônoma (pressionando o gatilho no lugar de um soldado).

O conceito da Divisão Terrestre da IAI é baseado em três princípios:
1. Consciência situacional,
2. Sobrevivência,
3. Letalidade.

O Grupo ELTA da IAI, conhecido como a casa da Inteligência e do Radar de Israel, está desenvolvendo sistemas estratégicos inovadores, como aeronaves de missão, matrizes cibernéticas nacionais, plataformas terrestres não tripuladas e robóticas, defesa contra UAVs, sistemas de segurança interna e muito mais.

 Israel Aerospace Industries (IAI) é uma empresa líder mundial nas áreas aeroespacial e de defesa, que inova e fornece tecnologias de ponta em segurança espacial, aérea, terrestre, naval, cibernética e interna para os mercados de defesa e corporativo. Combinando o espírito de inovação “Start-Up Nation” com décadas de experiência comprovada em combate, a IAI fornece aos clientes soluções de ponta feitas sob medida para os desafios únicos que eles enfrentam, incluindo satélites, UAVs, mísseis, soluções de inteligência, sistemas de armas, sistemas de defesa aérea, sistemas robóticos, radares, jatos executivos, aeroestruturas e muito mais. Estabelecida em 1953, a IAI é um dos maiores empregadores de tecnologia de Israel, com escritórios e centros de P&D em Israel e no exterior.
Para maiores informações:  www.iai.co.il.

 

 

Fonte: Defesa em Foco

UFG fecha acordo com Marinha do Brasil para criação de robô expedicionário

0

Google News

Por Lorena Lázaro

A Universidade Federal de Goiás, por meio da Faculdade de Ciências e Tecnologia do Câmpus Aparecida (FCT/UFG), assinou um acordo de cooperação técnica com o Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais (CTecCFN), organização militar pertencente ao setor Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais (CGCFN), que é responsável por elaborar e executar os projetos de ciência, tecnologia e inovação da Marinha do Brasil.

Por intermédio do CTecCFN, a Marinha do Brasil celebrou este acordo com a UFG, reconhecendo a infraestrutura e o capital humano existentes na universidade, com o propósito inicial de desenvolver um protótipo de “robô expedicionário”, valendo-se também das infraestruturas laboratoriais e corpo de pesquisadores de seus próprios sistemas de ciência, tecnologia e inovação. O contato partiu da UFG por iniciativa do Prof. Dr. Solon Bevilacqua, do curso de Engenharia de Produção da FCT, que solicitou uma visita ao Corpo de Fuzileiros

Navais para entender as demandas de plataformas robóticas para atividades de combate. Para o comandante do CTecCFN, Capitão de Mar e Guerra Celio Litwak Nascimento, a UFG se mostrou capaz e interessada em desenvolver uma parceria com a Marinha do Brasil para que essas demandas fossem atendidas.

O primeiro projeto

O projeto inicial prevê a criação de um protótipo do “robô expedicionário”, uma plataforma de sensoriamento voltada para as tarefas de reconhecimento de infantaria, engenharia e operações especiais, que no futuro permitirá o desenvolvimento de ações de reconhecimento operado remotamente, preservando a integridade física do operador.

As atividades deste primeiro projeto já começam em janeiro de 2022, com duração prevista de 18 meses, e envolverão o Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha do Brasil (SCTMB), por intermédio da Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação da Marinha (ICT-MB) – Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais, nas áreas de modelagem, manufatura aditiva, mecânica e mecatrônica, para o desenvolvimento do protótipo que será submetido a testes sob a coordenação do Comando do Material de Fuzileiros Navais (CMatFN). Na UFG, o plano de trabalho do projeto prevê a abertura de um edital de seleção para cinco bolsistas em breve.

Além do ganho operacional da força naval, de acordo com o comandante do CTecCFN, Capitão de Mar e Guerra Celio Litwak Nascimento, essa parceria incrementará o relacionamento institucional, permitirá que a UFG possa conhecer melhor as demandas tecnológicas da Marinha do Brasil e, diante de suas linhas de pesquisa, possa participar de outros projetos das tropas de Fuzileiros Navais. Além disso, os projetos pretendem também ser úteis para a sociedade civil e para os órgãos estaduais de segurança pública. “A tradicional UFG possui expertise em tecnologias ditas disruptivas, tais como a robótica e a inteligência artificial, sendo estas tecnologias fundamentais para garantir a visão de futuro da Marinha em ser uma força moderna e com alto grau de independência tecnológica”, aponta o comandante.

Na visão do Prof. Solon Bevilacqua, a parceria com a Marinha do Brasil abre um novo segmento para pesquisa e o desenvolvimento de novos produtos na área da defesa para a UFG, já que o robô será utilizado em missões de risco. “ Esse é um horizonte para a pesquisa que ainda não tínhamos na UFG. Daqui a pouco, a Marinha pode estar utilizando esse robô em missões humanitárias como as que o Brasil faz no Haiti, Moçambique, Angola e no Brasil, em situações de desabamento ou sequestro, por exemplo”, explica o docente.

Fonte: Curta Mais

Fonte: Defesa em Foco

Pavilhão Brasil na Milipol Paris: proteção, cibersegurança, munição

0

A Milipol Paris 2021 teve início nesta terça-feira (19) com a participação do Brasil entre os países presentes nesta que é considerada a principal feira internacional de segurança e proteção do mundo. Participam do evento a ABIMDE (Associação Brasileira da Indústria de Defesa e Segurança) e sete empresas associadas — BCA, CBC, Condor, Kryptus, M&K, Taurus e VMI.

No primeiro dia da Milipol Paris, que segue até a próxima sexta-feira (22), o Pavilhão Brasil recebeu visitantes de vários países, representantes de instituições públicas e privadas. As empresas apresentaram extensos portfólios de produtos inovadores e até lançamentos. 

“A presença do Pavilhão Brasil neste evento é muito importante pois temos a oportunidade de mostrar a potenciais compradores que temos uma BIDS (Base Industrial de defesa e Segurança) forte, inovadora e tecnológica, onde eles podem encontrar parceiros e fornecedores altamente qualificados”, disse Albuquerque.

Ele ressalta ainda o estudo ‘En Toute Sécurité 2021’, que aponta a retomada do crescimento do mercado global de segurança após a queda de mais de 3% em 2020 por conta da pandemia. Os dados apontam que este setor deve crescer cerca de 8% até o final de 2021 e 6% em 2022.

A participação brasileira na feira internacional tem o apoio da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

Produtos Inovadores

Durante os quatro dias da feira, as empresas brasileiras vão apresentar portfólios de produtos inovadores, muitos deles já exportados para vários países, e também os seus mais recentes lançamentos.

Este é o caso da BCA Ballistic Protection, empresa com 30 anos de atividades, presente em 16 países, que acaba de lançar sua mais nova linha de capacetes para uso restrito: o NeoFlex Helmet. De acordo com a empresa, o equipamento é leve e confortável, permitindo maior mobilidade aos soldados.

O portfólio da BCA inclui ainda outros produtos para blindagem de automóveis, de aeronaves,  de embarcações, e de veículos militares, e para proteção pessoal.

A Kryptus vai apresentar na Milipol Paris seu portfolio de soluções de criptografia e segurança cibernética para setores de Defesa e Inteligência, com destaque para:
– BruitBlanc Suite que traz a criptografia OTP inquebrável em um criptocomputador portátil combinado a equipamentos de cifração de rede (network encyptors) para promover um ambiente altamente seguro para comunicações ultrassecretas;
– kNET HSM (Hardware Security Module), uma linha de hardware criptográfico multitenant de alto desempenho para proteção de chaves criptográficas.

A CBC (Companhia Brasileira de Cartuchos) é considerada líder mundial de munições para armas portáteis. O portfólio da empresa inclui munições para armas curtas, fuzis, metralhadoras e médios calibres; cartuchos de fogo circular e para armas de alma lisa; carabinas de pressão e armas de fogo, entre outros produtos.

A Condor desenvolve e produz equipamentos e munições não letais, e pirotécnicos para emprego em sinalização e salvatagem. Atualmente, conta com mais de 120 produtos no portfólio e está presente em mais de 60 países pelo mundo.

A Taurus, com mais de 80 anos de atividades, é considerada uma das maiores fabricantes de armas do mundo e reconhecida internacionalmente devido ao seu elevado padrão de qualidade e inovação. O portfólio da empresa inclui pistolas, revólveres, armas longas e carabinas.

Fonte: Defesa em Foco

IAI é selecionada pelo Ministério da Defesa de Israel para desenvolver as tecnologias para o futuro veículo blindado de combate

0

Google News

Israel Aerospace Industries (IAI) foi selecionada pelo Ministério da Defesa de Israel (IMoD) como a principal contratante e integradora para desenvolver o conceito e as tecnologias para o futuro Veículo Blindado de Combate para as IDF – o Carmel – após a vitória da IAI em uma demonstração das tecnologias entre as principais empresas de defesa de Israel. Na demonstração, as empresas apresentaram seus protótipos e conceitos para o novo veículo das IDF. A demonstração ao vivo, bem-sucedida, de seu veículo de combate blindado (AFV), fez com que a IAI fosse selecionada pelo IMoD para desenvolver a próxima fase do Carmel: desenvolvimento e demonstração de tecnologias para uma equipe de combate multidimensional, que permitirá uma melhoria significativa na manobrabilidade do sistema.

Com a demonstração do Carmel, a IAI desenvolveu e provou um conceito de combate no qual um AFV, com escotilhas fechadas, é operado por uma tripulação de dois homens e pode enfrentar com sucesso os desafios existentes e futuros no campo de batalha. Esta solução é baseada em sistemas automáticos e autônomos que complementam a tripulação de dois homens e operam os subsistemas centrais – planejamento e gerenciamento da missão, consciência situacional, direção e letalidade dos veículos. Essas capacidades permitem que a equipe defina, supervisione e interfira apenas quando houver necessidade, e permite cobrir uma área de interesse mais ampla, enquanto atende, efetivamente, os desafios enfrentados pelas forças de manobra. O sistema tem a capacidade de localizar e destruir alvos com tempo reduzido de exposição e de baixa assinatura, através de aquisição rápida e engajamento efetivo.

O conceito do Carmel é inovador em escala global e chamou a atenção de muitas indústrias e forças armadas em todo o mundo. O programa combina um conceito operacional inovador com as mais recentes e avançadas tecnologias de ponta, que fornecem soluções no campo de batalha do futuro com base em uma pequena tripulação e amplo uso de recursos autônomos, baseados em inteligência artificial (IA), minimizando o risco de vidas humanas e os danos colaterais em uma campanha terrestre, assim como otimizando o gerenciamento da batalha.

O Presidente e CEO da IAI, Boaz Levy, mencionou: “Estamos muito orgulhosos que o IMoD e a Divisão de Forças Terrestres selecionaram o Carmel apresentado e desenvolvido pela IAI. Os princípios centrais por trás do conceito de combate terrestre da empresa incluem coleta de inteligência e aquisição de alvos no campo de batalha, conduzidas de forma autônoma. A solução Carmel, conforme demonstrada pela IAI, traz ao mundo do combate terrestre o conceito de sistema de sistemas projetado pela IAI e, inclui uma combinação de capacidades, sistemas, inovação revolucionária e conexão com o mundo da inteligência artificial como uma capacidade estratégica adicional que as IDF podem usar no futuro campo de batalha. O Carmel permitirá operações terrestres complexas com menos risco para as vidas humanas, o que transformará a estratégia de combate terrestre como a que conhecemos hoje.”

As tecnologias centrais que a IAI está desenvolvendo para as forças de manobra terrestre incluem:

  • Sistema de Comando – o cérebro, encarregado de planejar e gerenciar as missões da equipe de combate de forma autônoma.
  • Sistema de Consciência Situacional – combinando capacidades avançadas nas áreas de radares, SIGINT e eletro-ótica, simultaneamente, localizando ameaças em solo, no ar e outros mais, que se enquadrem no campo de interesse da equipe de combate, classificando alvos em tempo real e diferenciando e priorizando de forma rápida e precisa amigo ou inimigo.
  • Sistema de Letalidade – encarregado de classificar e priorizar alvos em tempo real, alocando a ferramenta letal mais adequada para cada alvo a partir de uma gama de munições à disposição da equipe de combate.
  • Sistema de Mobilidade – encarregado de planejar rotas ideais de avanço para cada um dos veículos da equipe de combate durante as missões.
  • Sistema de Operações – os membros da equipe podem observar o campo de batalha em várias dimensões e, assim, obter um melhor entendimento e uma interface de usuário inovadora permitirá que os soldados recebam as melhores decisões quando tiverem que tomá-las

A Divisão ELTA da IAI é a casa dos sistemas de inteligência e radar de Israel, que desenvolve sistemas estratégicos inovadores, como aeronaves de missão especial, sistemas nacionais de cyber, sistemas robóticos terrestres, defesas contra drones, sistemas de proteção de fronteiras e, muito mais. A IAI é um ponto focal de know-how tecnológico nacional e global nos setores de defesa aérea, radares, satélites, veículos não tripulados, aviação civil e cibernética.

Fonte: Defesa em Foco

REX Mk II, veículo não tripulado da IAI, será testado pelo Exército Britânico

0

Marlborough Communications Limited (MCL) e Israel Aerospace Industries (IAI) entregarão quatro veículos de pelotão remoto (RPVs) para apoiar e melhorar a experimentação e o desenvolvimento de capacidade para operações terrestres do Reino Unido, com a MCL tornando-se o principal contratante do Reino Unido MoD RPV Framework Group.

Os RPVs, projetados e fabricados pelo grupo ELTA Systems da IAI, são plataformas multifuncionais/multimissão robustas e versáteis que apoiam e complementam as tropas no e melhoram sua proteção no campo de batalha. Além de suas capacidades de inteligência, vigilância, aquisição de alvos e reconhecimento (ISTAR), os RPVs podem fornecer suporte logístico ao carregar equipamento de pelotão, suprir munição e evacuar feridos. Eles podem ser operados nos modos manual, remoto ou autônomo, para maior flexibilidade.

Shane Knight, Diretor Administrativo, MCL, disse: “Estamos muito satisfeitos por termos firmado nosso primeiro contrato com nossa parceira IAI. Isso é uma prova de nossa herança em integração e fornecimento de recursos líderes do setor para o MoD do Reino Unido, trabalhando com parceiros de tecnologia especializados como a IAI. Assegurar o contrato da Spiral 2 foi um esforço de equipe colaborativa e o primeiro passo para explorar novas oportunidades no Reino Unido.”

Boaz Levy, presidente e CEO da IAI, disse: “Os veículos autônomos da Divisão Terrestre da IAI fornecem uma enorme variedade de soluções multidomínio/multimissão para operar com as forças terrestres em manobra, enquanto fornecem ferramentas vitais para comandantes e líderes. A Divisão Terrestre da IAI é construída com base no entendimento de nossa necessidade de apoiar as forças terrestres no campo e assegurar o mínimo de perigo e risco para as tropas, ao mesmo tempo em que fornece informações em tempo real. A IAI está orgulhosa de colaborar com mais um parceiro europeu para fornecer soluções de combate avançadas e de promover a presença da empresa na região como parte de nossa estratégia abrangente. Estamos confiantes de que a colaboração frutífera com a MCL fornecerá ao UK Mod tecnologias e recursos de ponta.”

A MCL recebeu, anteriormente, um contrato para fornecer quatro Veículos Terrestres não tripulados (UGVs) do Sistema de Plataforma Adaptável à Missão (Mission Adaptable Platform System)para oSpiral 1 do RPV Experimentation Programme, um projeto do Grupo de Capacidades Futuras do MoD para determinar os requisitos futuros dos UGVs por meio de uma série de testes.

O novo parceiro de tecnologia IAI, um provedor israelense de sistemas avançados, tem mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento e fabricação de sistemas operacionais autônomos terrestres.
A Divisão Terrestre da IAI demonstrou seus mais recentes desenvolvimentos em um Veículo de Combate Terrestre (GCV) autônomo, equipado com um conjunto completo de sensores de consciência situacional, aquisição de alvos e proteção de força, ECM (Contra-Medidas Eletrônicas) e estações de armas, para a Força de Defesa de Israel (IDF) e o Ministério da Defesa de Israel. A Divisão Terrestre da IAI fornece um espectro completo de radares táticos, soluções autônomas, sensores e sistemas ativos e passivos integrados para fornecer soluções multimissão, incluindo soluções contrabateria (C-RAM), contra sistemas de aeronaves remotamente pilotadas (C-UAS),sistemas terrestres de Defesa Aérea (GBAD), Contra dispositivos explosivos improvisados(IED) e minas, consciência situacional, vigilância e reconhecimento, e proteção de fronteira terrestre e costeira e proteção de infraestrutura crítica.

REX MK II, nova plataforma terrestre não tripulada
O sistema, já vendido para clientes em todo o mundo, foi apresentado na última mostra DSEI, em Londres. O REX MK II multimissão destina-se a apoiar as forças terrestres de infantaria em vários estágios do combate. Isso inclui o fornecimento de assistência logística às tropas, levando suprimentos de munição, equipamentos médicos essenciais, água e alimentos, bem como evacuando o pessoal ferido em macas. O sistema também pode coletar inteligência por meio de um sistema de consciência situacional que incorpora sensores eletro-ópticos e radar.

Para obter mais informações sobre MCL, visite: http://www.marlboroughcomms.com/

Fonte: Defesa em Foco

CBC e TAURUS marcam presença na feira internacional Milipol, em Paris

0

Google News

A Taurus Armas e a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), em parceria com a Abimde e ApexBrasil, estão presentes na 22ª edição da Milipol, feira militar que acontece entre os dias 19 e 22 de outubro no centro de exposições Paris Nord Villepinte, em Paris, na França.

As empresas estão expondo seus completos portfólios de armas e munições no Pavilhão Brasil e os visitantes terão a oportunidade de conhecer as tecnologias e produtos desenvolvidos por empresas brasileiras que estão entre os líderes mundiais de seus segmentos.

A Taurus apresentará, na ocasião, os produtos de sucesso da marca, que incluem o fuzil T4 calibre 5.56 e a pistola Striker modelo TS9 em calibre 9mm nas versões full-size e compacta, especialmente desenvolvidos para o emprego policial e militar.

A CBC também mostrará seus produtos, incluindo soluções inovadoras e de alto desempenho produzidas para o segmento militar e policial, com destaque para as munições .50 Reduced Range, munição 5.56x45mm SAT (Steel Arrow Tip), munição 5.56x45mm e 7.62x51mm IR Tracer, além da munição 40×53 mm de alta velocidade nas versões de treinamento e operacional para uso das Forças Armadas brasileiras e internacionais.

Dando continuidade a estratégia da Taurus e da CBC, a participação das fabricantes brasileiras na Milipol será uma oportunidade para expandir os negócios internacionais. Além de ser uma ocasião para ampliar relacionamentos com governos, militares e a indústria de defesa e segurança, assim como conhecer as novidades no setor, a feira é também uma ótima oportunidade para gerar mais negócios para o Brasil.

O evento, este ano, deve receber cerca de 1 mil expositores, 30 mil visitantes e 150 delegações oficiais.

Fonte: Defesa em Foco

EmbraerX assina contrato de prestação de serviços com a Republic Airways para utilização do Beacon

0

A EmbraerX assinou um acordo de longo prazo com a Republic Airways para utilização da plataforma de coordenação de manutenção Beacon, que apoiará a transformação digital da companhia aérea. O Beacon apoiará todas as operações de manutenção e acelerará o tempo de retorno à operação da aeronave integrando a plataforma nas estações da Republic e incluirá cada um de seus provedores de manutenção de plantão. A Republic Airways é atualmente uma das maiores operadoras comerciais regionais dos Estados Unidos, com uma frota de 223 aeronaves, operando voos regionais para as três maiores companhias aéreas americanas.

A parceria entre o Beacon e a Republic começou em janeiro de 2020, quando a empresa passou a usar a plataforma como primeiro cliente do segmento de aviação comercial nos Estados Unidos. Ao implementar o Beacon, a Republic e seus parceiros de serviço de manutenção ganharam uma vantagem competitiva graças à eficiência da plataforma na resolução de casos de manutenção. Como uma das primeiras empresas a adotar o Beacon, a Republic tem validado e testado os recursos do Beacon com seus usuários no segmento de grandes operadoras independentes regionais.

“Quando introduzimos o Beacon, estávamos determinados a encontrar uma melhor maneira de gerenciar nossas operações diárias de manutenção mantendo nossa eficiência. O Beacon permitiu que nossas equipes fossem mais móveis – para rastrear, participar e se conectar a eventos -, colocando aeronaves de volta à operação com mais rapidez ao integrar nosso ecossistema de parceiros com a transformação digital. Nosso sucesso depende de apoiar nossos parceiros na realização do trabalho de forma eficiente”, disse Dale Cash, Diretor de Manutenção da Republic Airways.

Durante os primeiros seis meses de 2021, a Republic registrou uma redução média no atraso à medida que adotava o Beacon em suas bases de operação. Com o aumento das viagens e do volume de voos da Republic, o tempo de atraso geral das aeronaves fora de serviço se manteve estável, justificando a tecnologia do Beacon no gerenciamento de interrupções e na aceleração do tempo de retorno à operação.

“A Republic Airways tem sido uma parceira incrível, motivada pela inovação, e está aplicando a tecnologia para entregar valor excepcional aos seus parceiros de compartilhamento e aos passageiros. Juntos, estamos harmonizando o ecossistema do mercado de reposição e eliminando algumas das restrições atuais, aplicando soluções do século 21 para impulsionar os processos existentes. Estamos muito orgulhosos por ampliar nosso relacionamento com a Republic para comprovar os minutos economizados por caso, o tempo geral economizado com atrasos fora de serviço, identificar novos casos para utilização e aproveitar “insights” centrados em operações para apoiar os líderes na tomada de decisões de negócios inteligentes no dia a dia”, comentou Marco Aurelio Cesarino, Head do Beacon.

Ao estender este contrato, a plataforma Beacon continua a expandir sua presença e sua missão de reduzir o tempo fora de serviço e atrasos para todos os tipos de aeronaves em vários segmentos de aviação, por meio do estímulo à colaboração e serviços baseados em valor em escala, entre diferentes públicos de interesse.

Fonte: Defesa em Foco

Atech entrega o Sistema de Planejamento e Treinamento de Missões da aeronave E-99M

0

Google News

A Atech empresa do grupo Embraer, concluiu a entrega do MPTS do projeto de modernização das aeronaves de Alerta Aéreo Antecipado da Força Aérea Brasileira, na ALA 2, na cidade de Anápolis – GO. O Teste de aceitação em campo,  instalado nas dependências do 2º/6º GAV – Esquadrão Guardião, ocorreu com pleno sucesso no início deste mês.

O projeto E-99M conduzido pela FAB – Força Aérea Brasileira, através da COPAC – Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate, traz consigo a flexibilização das operações da aeronave e a ampliação das capacidades de vigilância nas áreas de interesse do Comando da Aeronáutica.

Com a integração do MPTS aos sistemas de solo da FAB, o Esquadrão Guardião recebe novas capacidades, agilidade e precisão para atuar em diversos cenários de vigilância, com protagonismo durante as operações. O sistema  também permitirá treinamento em solo, dos integrantes do Esquadrão Guardião, principalmente nas novas capacidades da aeronave, reduzindo o tempo de treinamento em voo que será convertido em missões operacionais.

Além disso, o sistema possui mobilidade, podendo ser transportado com extrema facilidade em caso de necessidade ou operações desdobradas, para o aproveitamento da capacidade plena das aeronaves. A Atech foi responsável por todo o desenvolvimento do MTPS, desde as fases de concepção, especificação de equipamentos e integração de sistemas, até a instalação na ALA 2, em Anápolis, e seguirá sua missão com o treinamento para capacitação operacional e de manutenção em campo e o suporte técnico necessário.

“Uma entrega desta relevância e importância na modernização das capacidades das nossas Forças Armadas, é motivo de orgulho para a Atech, que sempre norteia suas atividades buscando oferecer cada vez mais eficiência e tecnologia na integração de sistemas complexos para as missões críticas, contribuindo com a soberania, segurança e defesa do nosso país”, destaca Giacomo Feres Staniscia, Diretor de Negócios da Atech.

No projeto de modernização do E-99M, a Atech também atuou no desenvolvimento de vários módulos do sistema de Comando e Controle embarcado, que permite o domínio completo do ambiente de operação, aumentando a consciência situacional e apoiando na tomada de decisão.

Fonte: Defesa em Foco